MusicMonday #1


Resolvei fazer um MusicMonday aqui no blog para compartilhar um pouco daquilo que eu ouço. Meio que óbvio para essas escolhas, começo hoje com Nina Simone, três vídeos, para não cansar.

Primeiro Ain't got no... I've got life que é um medley de duas canções do musical Hair; /Não sei por conta de quê, mas essa me canção me remete a um sujeito correndo, praticando cooper, e pensando em sua própria vida. Uma boa cena de filme.


Depois a pedida é Don't let me be misunderstood. Alguns críticos defendem que essa canção está no contexto da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos, outros defendem que tem uma relação maior com a vida pessoal de Nina, seja qual for a intenção, a música é das melhores.


Por fim, uma apresentação de Nina Simone no Festival de Jazz de Montreux onde ela canta e toca Feelings. É uma verdadeira performance que faz jus ao título da canção. Nina expressa todo seu sentimento enquanto interprete, é como um choro traduzido em canto e linguagem corporal, vale a pena conferir.


BONUS: Navegando pelo youtube achei esse vídeo de uma apresentação de Yusuf Islam, antigo Cat Stevens, em 2007, cantando Don't let me be misunderstood. Pra quem já conhece o Cat, ou a Nina, ou pra quem gosta de Jazz e/ou boa música, é um prato cheio.

Hoje é domingo





A insônia é um mal inevitável da vida adulta. A semana foi agitada, acho que eu não consegui desligar. Me despedi dela, me deitei e começou o suplicio. Se mexe pra lá, se mexe pra cá, para, respira fundo e pensa: pensar em nada, pensar em nada, pensar em nada; no fim não dá em nada.

Porque quando eu era moleque eu não sabia o que era emprego, eu não sabia o que era esforço, eu não sabia o que era insônia, eu acreditava que contar carneiros ajudava alguma coisa. Agora eu estou aqui, ouvindo Arctic Monkeys, cansado ao ponto de não pensar / escrever coisa com coisa, mas insone ao ponto de não dormir.

Antes da proxima tentativa, deixo uma dica para os outros zumbis que passam noites a fio contando carneiros, jumentos, cachorros de rua ou patos em migração: Um palito de fósforo é um remédio eficaz. Veio de uma amiga a dica que basta esfregar um palito de fósforo entre o indicador e o polegar que o sono chega. E lá vou eu, testar mais uma vez a funcionalidade da coisa.

Um amor tão puro



/Conversando com uma amiga, chegamos a conclusão de que a idéia romântica do amor estava próxima do fim na sociedade global atual, que mais importante é dar para receber. Ao menos por alguns instantes, afetado pela mensagem do amor inocente contida nas palavras desse garoto chinês, completamente apaixonado, eu penso que estamos enganados. :)

Se esses muros falassem...



/Na primeira olhada eu lembrei das inscrições do Gentileza aqui no Rio de Janeiro. Sou um encantado com essas pichações. A publicidade dos sentimentos é bem menos agressiva que a propaganda do consumismo.

Movimentos [in]voluntários


Você está envelhecendo agora

                                 E também agora

                                                       E agora uns segundos a mais.

                                 Não há nada que você possa fazer.

Aproveite.                              
                                                    

Drummond... Drummond...


Eu gosto bastante desse poema, mas todas as páginas da internet em que o achei são feias demais ou pouco sutis. Por isso resolvi postar aqui para que eu possa ler sempre que eu quiser.



Poema da Necessidade

É preciso casar João,
é preciso suportar António,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbedo,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o FIM DO MUNDO.

Carlos Drummond de Andrade.

I've got life


Começo o dia de uma boa maneira. Tem músicas que provocam em mim um sorriso instantâneo, Ain't Got No...I've Got Life na voz de Nina Simone é uma dessas. Acordei bem cedo hoje, e já perdi a conta de quantas vezes eu já assisti esse vídeo repetidamente, a letra perfeita, voz de diva, arranjos que dão vontade de dançar.

Aliás, a vontade que tenho é de me levantar, ligar as caixas de som no máximo e fazer um dueto com minha Nina enquanto balanço o esqueleto para lá e para cá. Mas ainda são seis e vinte da manhã, e até um vizinho que amasse jazz me xingaria. O jeito é ficar aqui, com meus fones estourando meus tímpanos e apenas balançando os pés.

Se me perguntam o motivo  da felicidade eu respondo: Não é felicidade. A letra da música me ajuda a explicar. É que não importa a vida de merda que você leve, e olha que eu levo uma de proporções homéricas, sempre pode ficar pior. Então qual é o motivo de cantar e ter vontade de dançar? Comemorar enquanto você não desce mais um pouquinho em direção ao fundo.

Agora fiquem com a voz deliciosa de Nina, que já deu a hora e eu tenho uma longa caminhada até o trabalho ;)

top